Petrobras anuncia aumento do diesel

Após 60 dias sem reajustar os preços dos combustíveis, a Petrobras anunciou nesta segunda-feira, 9, que aumentará o preço do diesel em suas refinarias. O novo valor passa a ser aplicado na terça-feira, 10 de maio.

O preço médio de venda do diesel para as distribuidoras da Petrobras subirá em quase 9%, de R$ 4,51 o litro para R$ 4,91 o litro.

“Com esse movimento, a Petrobras segue outros fornecedores de combustíveis no Brasil que já promoveram ajustes nos seus preços de venda acompanhando os preços de mercado”, disse a empresa, em nota.

Além da parcela da Petrobras em suas refinarias, o preço final do óleo diesel ao consumidor nos postos inclui ainda o preço do biodiesel (que compõe 10% da mistura final), tributos, margem de lucro da cadeia e custos, entre outros.

A parcela da Petrobras no preço final, com o reajuste de hoje, passa de R$ 4,06 para R$ 4,42 (subindo R$ 0,36 por litro).

Atualmente, o preço médio do óleo diesel nos postos brasileiros está em R$ 6,630/litro, segundo a última pesquisa da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), na semana até 7 de maio.

O maior preço encontrado na pesquisa foi de R$ 8,387 em um posto.

Gasolina não terá aumento

O último reajuste da Petrobras no preço do diesel havia sido em 11 de março, quando também foram reajustados gasolina e GLP. Na ocasião, a gasolina nas refinarias da estatal aumentou 19%, o diesel, 25%, e o GLP, usado no gás de botijão, subiu 16%. Desta vez, somente o diesel foi reajustado.

O preço do diesel é hoje o mais defasado em relação ao mercado internacional. Na semana passada, com a alta da cotação no exterior, o diesel chegou a ficar defasado em 25% em relação aos preços no mercado interno.

O reajuste de hoje não cobre totalmente essa diferença. Nesta segunda-feira, com base no preço de fechamento na sexta-feira, 6, a defasagem do diesel ficou em 17% e da gasolina, 19%, segundo a Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom). 

Desafios de importação

Em nota sobre o aumento, a Petrobras informou “a elevação dos preços do diesel no mundo inteiro, com a valorização deste combustível muito acima da valorização do petróleo”.

Cerca de 70% do diesel consumido no Brasil vem das refinarias da Petrobras, segundo a empresa. O um terço restante é ofertado por outras refinarias, privadas, e sobretudo trazido ao país por importadoras a preços de mercado.

Sem um reajuste no mercado interno, corria-se o risco de importadores não conseguirem comprar diesel no mercado internacional a preços competitivos internamente, gerando risco de desabastecimento.

As refinarias da Petrobras operam em capacidade máxima, com fator de utilização de 93% no início de maio maio, dado os níveis de segurança e rentabilidade, segundo a empresa. A estatal afirmou que “o refino nacional não tem capacidade para atender toda a demanda do país”.

“Isso significa que o equilíbrio de preços com o mercado é condição necessária para o adequado suprimento de toda a demanda, de forma natural, por muitos fornecedores que asseguram o abastecimento adequado”, disse a empresa em nota.

Fonte: Exame.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *